A Pena e a Espada

Um conto criado dentro das histórias vivenciadas no Projeto M.E.D.O.

Escrito por: Denon
Personagem: Samael Constantino, o Arquiteto
Criatura: Vampiro
Clã: Tzimisce
Seita: Sabá

São as legiões do Arquiteto, e a cidade jaz em chamas.

Igreja de St. Thomas - 5th Avenida, Manhattan, NY

 

No coração da ilha eles se reúnem em frente as escadarias da Igreja. São milhares.
Monstros recrutados de toda parte sedentos por sangue e guerra.
Um exército formado por Máquinas de Combate Tzimisce, bestas horripilantes banhadas no sangue e nas vísceras dos inimigos que devoraram em campo de batalha. Soldados com corpos e armaduras esculpidos em sombras, e muitos, muitos outros que ali lutaram sedentos pelo poder e pelo horror e calamidade da guerra sem nem ao menos ter entendimento real motivo pelo qual ainda caminham na terra dos vivos.
Todos eles fazem parte da horda que levou o terror e o desespero em seu estado mais puro e implacável ao inimigo. O calafrio que escalou suas espinhas e os atirou para dentro de seus bankers, que os trancafiou em suas próprias celas, deixando para eles apenas a condição de presa e uma última tentativa desesperada de lutar por sua não vida.
São as legiões do Arquiteto, e a cidade jaz em chamas.

.....................

Ouça essa referência de áudio para o trecho abaixo: "Evil Genius" - Nox Arcana
Ele caminha pela nave da igreja rumo ao portão para encarar as legiões. Seus passos são ouvidos pelos monstros que se inflamam ao perceber sua presença. Cada passo ecoa na Terra das Sombras como o estrondo do martelo no cinzel a entalhar suas essência na pedra fundamental da cidade, na estrutura que a sustenta além da Mortalha.
Suas palavras profanam tudo o que aquele lugar um dia representou e que agora ressurgirá das chamas do fogo abissal vindo das veias do Demônio Tzimisce e de sua famigerada magia negra que corrói o que é de marfim e transforma tudo o que um dia foi alvo em negro carvão.
O brilho incandescente dos olhos em chamas atravessa o manto de escuridão que se abre gentilmente para que ele surja diante das hordas que o aguardam. Ainda se vê bandeiras negras com sua marca branca, um estandarte de guerra e símbolo de terror.
Eles nunca o viram, mas de certo que seu nome é conhecido por todos, irmãos e inimigos. Aqui e lá, seu nome é respeitado e temido. Samael Decano Constantino, o Arquiteto.

 

- "Nós somos os filhos da noite

Nós somos os habitantes da escuridão

Camuflados na mais profunda sombra

Nós somos os anjos caídos

Subindo através do céu de ébano sobre as asas do corvo

Nós somos os lobos que caçam à meia-noite

Para atacar os sem coração

Nós somos os descendentes do sangue do dragão

Os guardiões da chama antiga

Nós somos os escolhidos que ousam explorar

Os mistérios dos reinos invisíveis

Somos legião, pois somos muitos

E unidos, não podemos ser vencidos"

"We Are Legion" - Nox Arcana"

 

........................

Como saído de um pesadelo ele chegou. Sua passagem semeou a Escuridão por todo esse lugar.
A reputação que o antecede anunciou mudanças antes mesmo que ele aqui estivesse. Seus desígnios são desconhecidos, seus planos são forjados na escuridão do pensar de um monstro milenar que atravessou séculos afinando seus instrumentos para cortes cruéis e precisos. Dele é a mão que projeta e constrói os muros da casa do Pai Negro.
Ele caminha entre os vivos e observa os mortos. Seu olhar em faíscas rompe as barreiras dos planos e alcança tudo que é. Ele vê além do tempo e do espaço.
Os mortos, os vivos, os animais, os espíritos e a própria natureza se curvam à sua vontade. Ele representa o planejamento e sua execução. A pena e a espada.
Carrega consigo a essência do Sabá, o fervor e a fé em um ideal de liberdade arrancado à força dos tiranos que caíram diante da Espada de Caim.

Assim eu o vi.