O Sabá: Ídolos Falsos

O Sabá: Ídolos Falsos

Trechos do livro Mind’s Eye Theatre: Vampire The Masquerade Ed. 2013.
Tradução livre por BNS Project.

O Regente Temoch estabilizou a Espada de Caim, encorajando os líderes de bando a tomar uma mão forte, permitindo que as Dioceses quebradas se reformassem, e usando o Sagrado Ritual para unir a seita. Ainda assim, o Sabá foi forçado a enfrentar uma verdade difícil: entre as deserções Assamitas, as incursões de caçadores e a traição Nosferatu em Cleveland, eles perderam muitos membros insubstituíveis da seita. Mancando, enfraquecida e com deficiências, a Espada de Caim estava em uma posição desesperada.

Os abraços em massa dos trabalhadores de supermercados nunca substituíram a força que a seita perdera. O consenso de bando era que tal poder deve ser tomado pela força, e pelos mesmos meios, a vingança de Caim seria executada de encontro aos obstinados. O Sabá concentrou sua ira nos três clãs com as mais óbvias associações atuais com seus Antediluvianos: os Setitas, os Assamitas e os Giovanni (no caso dos Giovanni, os Sabás consideram seu fundador, Augustus Giovanni, um Antediluviano). O Regente reuniu-se com seu Consistório para definir sua estratégia. Nenhum desses clãs tinha apoio da Camarilla, e cada um deles estava sozinho. Além disso, cada um deles tinha a recompensa potencial de extinguir um Antediluviano e deleitar-se em seu sangue. Usando esta ambição como um grito de guerra para revitalizar os bandos mais lentos, o Regente enviou sua palavra através da Espada de Caim e levou seus exércitos em direção a esses objetivos aparentemente mais atingíveis. O Sabá reorganizado começou incursões bater-e-correr contra esses clãs em busca do sangue de seus corações.