Ressurgidos

Ressurgidos

Trechos do livro Mind’s Eye Theatre: Vampire The Masquerade Ed. 2013.
Tradução livre por BNS Project.

Depois da aparição da Estrela Vermelha, Caitiffs começaram a surgir cada vez mais. Esta proliferação de vampiros de sangue fraco coloco a Máscara em risco, e a Camarilla reforçou sua segurança em uma tentativa desesperada de conter a maré. Essas medidas de segurança incluíram a erradicação de Caitiffs não reclamados, uma ação que muitos anciãos sentiram por muito tempo. As cidades ficavam vermelhas com vitae e o medo se apoderava até dos mais isolados. Bandos Sabá reuniram-se no México para discutir esses eventos importantes. Pregando contos do Livro de Nod, eles discutiram sobre a melhor maneira de lutar contra os Antediluvianos e lutaram entre si para liderança nas próximas cruzadas. Durante uma celebração de toda a seita, conhecida como a Palla Grande, assassinos desconhecidos mataram a Regente Galbraith, a líder da Espada de Caim. Mostrando grande ambição, uma jovem Tzimisce tentou personificá-la, mas foi rapidamente descoberto. A perda de seu líder, o herdeiro simbólico do trono de Caim, quebrou a unidade do Sabá e colocou as facções políticas da seita umas contra as outras na Guerra Civil generalizada.

Aproveitando o conflito interno no Sabá, os Tremere da Camarilla realizaram outro poderoso ritual, resultado de centenas de anos de preparação. Alvejando o sangue de um ancião traidor do clã, eles misticamente alvejaram e destruíram todos os Tremere que tinham tomado parte nos rituais de seita da Espada de Caim. No decorrer de uma única lua, a maioria dos Tremere Antitribu morreram em pilares de fogo mágico. Quando o Sabá lutou para se recuperar desses golpes tempestuosos, a seita descobriu aliados novos e fervorosos. O primeiro foi uma pequena linhagem de guerreiros Salubri. Esses soldados cruéis haviam sobrevivido de algum modo à extinção de seu clã e se juntaram ao Sabá para buscar vingança contra o clã Tremere. E quando a Espada de Caim deu as boas-vindas aos filhos de Saulot, outro aliado ainda mais inesperado surgiu. Chamados a si mesmos como os Precursores do Ódio, esses Necromantes mascarados ofereciam pouca informação sobre sua história ou origens, mas prometeram lealdade ao Sabá enquanto seus próprios interesses secretos fossem cumpridos.

Entre os independentes, uma linhagem chamada True Brujah saiu do esconderijo. Empoderados pelas lendas do Fim dos Tempos, eles forjaram um pacto com os Seguidores de Set, escolhendo aliarem-se com independentes em desafio a Troile. Através de estratégias astutas, pacientes e frias, minaram seu clã-pai e deram golpes sutis, mas devastadores, tanto nos Brujah quanto à Camarilla.

Dentro da fortaleza da montanha de Alamut, o clã Assamita sofreu mudanças angustiantes. Um Matusalém sortudo despertou depois de quase 2.000 anos de sono torpido. Depois de conquistar a liderança moderna do clã, este antigo temível provou sua potência mágica por quebrar a maldição que afligia seu clã e impedia a prática da diablerie.

Na esteira deste triunfo, os Assamitas do Sabá deixaram sua seita em massa para retornar ao Alamut, quebrando seus votos com a Espada de Caim. Apenas os mais jovens, aqueles que nunca tinham visto Alamut, permaneceram leais a Espada.

Com a máxima autoridade, o Matusalém exigiu que os Assamitas retornassem ao antigo Culto de Haqim. Ele proibiu a prática de qualquer outra religião, e destruiu aqueles que não desistiriam de suas crenças mortais. O cisma filosófico resultante rasgou o Clã em dois. Um dos principais Feiticeiros do clã, Al-Ashrad, tomou uma facção dividida composta principalmente de seus companheiros e escapou da montanha. Invocando bênçãos centenárias para permitir a entrada, os Vizirs Assamitas juntaram-se às fileiras da Camarilla.