Gaiola Dourada

Uma Gaiola Dourada: A Normalização da Sociedade dos Membros

Trechos do livro Mind’s Eye Theatre: Vampire The Masquerade Ed. 2013.
Tradução livre por BNS Project.

A vitória na Revolta Anarquista trouxe um bom prestígio para a nascente Camarilla. Os Fundadores pressionaram sua vantagem encorajando a adoção de sua versão das Tradições, com a, ignorada há muito tempo, Máscara como a peça central da sua estrutura. Motivada pela Inquisição e trepidação sobre o poder da Camarilla, a sociedade vampírica seguiu a liderança dos Fundadores. Vampiros já não dominariam abertamente o poder sobre os mortais. Em vez disso, os Membros deveriam agir das sombras, impor as Tradições e proteger-se dos incêndios da ira mortal com uma farsa que viria a atravessar o globo.

O mundo mudou durante a Revolta Anarquista. Se os vampiros quisessem viver sob a proteção da Máscara, eles também tiveram que mudar. Os Príncipes ainda governavam domínios específicos, mas sua regra agora incorporava um conjunto codificado de Tradições, bem como uma supervisão limitada da Camarilla. Isso incentivou viagens à medida que as alianças se formaram em linhas de domínio e de clãs. Uma nova ordem social formada com base em reconhecida posição na Camarilla.

Na próxima assembléia dos Fundadores, a Convenção dos Espinhos, a Mestre das Cerimônias, anciã Brujah Eleanor de Valois, apresentou uma moção para determinar se a autoridade dos Fundadores e seus agentes continuariam a presidir a Camarilla agora que a guerra estava acabada. Os participantes votaram esmagadoramente para permitir que os Fundadores continuassem como os Justicars da Camarilla, sem poder acima destes para vigiá-los. A posição recém-criada de Justicar serviu como autoridade máxima da seita, e a posição deveria ser reavaliada após um período de 30 anos.

Os Justicars recém-eleitos rapidamente perceberam que, enquanto sua seita havia passado por suas provações com uma força recém-descoberta, os deveres exigidos à eles como juízes, magistrados, e pacificadores os impediam seus verdadeiros objetivos de avançar a causa da própria Camarilla. Um Grande Conclave especial foi chamado por todos os sete Justicars em 1504 para resolver esta questão.

Somente as elites de Camarilla participaram desta reunião particular - foi especificamente mantida em segredo daqueles não convidados a participar. Nesta assembléia, realizada em uma pequena cidade fora Viena, os Fundadores explicaram aos Membros reunidos que não poderiam mais cumprir os deveres exigidos à eles como Justicars, se eles devessem conduzir com êxito a Camarilla ao seu lugar de legítimo dominante.

Sete novos Justicars, um de cada clã, foram escolhidos por voto de todos os presentes. Os Fundadores formaram um novo conselho de supervisão que teria o poder de anular os decretos dos Justicar - o Círculo Interno. Os Justicars agora cumpririam um mandato de 13 anos, após os quais seriam revisados, e possivelmente substituídos, por meio de votação do Círculo Interno. Sabiamente, o Círculo Interno titubeia a introdução de novos Justicars para garantir que seus agentes tenham o peso da experiência para adoutrinar novos membros.

Alguns anciãos presentes no conclave se opuseram a uma facção tão pequena que ocuparia tanto poder, mas os Fundadores utilizaram favores e dívidas para garantir que a votação para modificar a estrutura da Camarilla fosse aprovada por uma margem razoável.